quarta-feira, 30 de novembro de 2011

JORDAN CANTA "GIZ"

Acordar de madrugada com uma canção sussurando em seu travesseiro, colocar um óculos e explicitar em verbo e toque o que é isso que me faz insônia boa. Esta canção do Renato Russo, que não escutava há muito tempo, me chegou como uma luva. Pela simplicidade da minha verdade, pela criança no adulto que sou. Pela pureza como conquista. Como direito de resposta. Aumente o som.
 


terça-feira, 29 de novembro de 2011

Fragmentos do Quebra-Cabeças do Céu

Por Jordan Campos


Se eu pudesse talvez colocar tudo numa canção...
Preferiria colocar numa pequena esmeralda presa a um anel.
A esmeralda seriam meus olhos e o que estaria escrito não precisaria ser lido.
Apenas sentido, visto claramente no meu choro e riso convincentes
Num momento da vida, ali logo atrás... resolvi lucidar-me!
Um Beatle intenso de carreira curta?
Ou um rebelde e atemporal Rolling Stone?
A vida pode parecer ser precipitada às vezes... Mas não é.
Isso é apenas uma ilusão.
Qual o valor de uma pele aqui? Qual o poder disto disparar mil âncoras?
Naqueles dias em que você sente frio pela primeira vez, e leva um susto.
Você se dá conta do que realmente quer.
E isso foi ontem: agora!
“Hangover” do Bem!
Na certeza de ter tão pouco tempo neste “aqui”.
A distância é ponte ou barco de adeus?
Distância e Adeus existem?
Feche os olhos, esqueça as antigas feridas.
Para que esperar mais 500 anos?
Façamos neste mês, dia, hora... Segundo.
Montemos o quebra-cabeças do céu azul.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Jordan Campos - Terapia Regressiva - Salvador - BA - Formação em TTS


Este foi um final de semana fantástico! Este é o eufemismo para traduzi-lo.
Os alunos do Curso de Formação em Terapia Transpessoal Sistêmica (TTS) se reuniram para o 4º. Módulo – Introdução à Terapia Regressiva, e fizeram um dos módulos mais intensos de troca, conhecimento, emoção e acolhimento. Arrepia-me apenas em escrever. Apenas quem esteve ali naquela sala sabe o significado Maior deste meu sentimento agramatical, aqui exposto. Muito além das “normas” e “meios” de se chegar a tocar nas causas humanas, tocamos diretamente a alma. Fizemos juntos acontecer o que nossos olhos condicionados jamais poderiam supor existir. Fizemos nossas mentes postuladas pelo rigor acadêmico ortodoxo, dar um nó. 

Viajamos em todos os tempos possíveis. Passado, presente e futuro ali, de bandeja, a nos convidar a entrar pela porta. Se filmássemos tudo que ali aconteceu, na sequência que foi, na lógica que se fez, e mostrássemos, chocaríamos a prisão da pseudo-lucidez que encarcera corpos e envenena almas.
Agradeço demais a esta turma que mostrou a força da união, da mentalização e da doação para o entendimento e progresso. Trabalhamos zonas em terapia regressiva ligadas ao “novo” sistema transpessoal proposto em suas “zonas macro”, que simplesmente funcionou.

Quem agora não sabe dizer claramente a diferença entre uma intervenção com hipnose “artificial” para uma intervenção onde a emoção é o guia? Fomos dar uma volta no espaço... e na descida, uma subida de consciência! Uau!!! Conseguimos... Como assim, fazer uma regressão comigo sentado e com representantes regredindo por mim? E foi lindo ver o “Sentimento” ser ajudado pela “Mãe”- rearmonizar histórias emaranhadas tão antigas e “presentes” sorrateiramente por detrás de sensações usuais. O ilógico ficou palpável.
Exploramos a “aura”, e como foi lindo. Fizemos o parto de um bebê assustado, apagamos caldeirões em lava e demos sol à neve; reconstruímos a paralisia da dor de um joelho quando achamos lá dentro “papai e mamãe”. Lindo, lindo... Tocamos, trocamos, elevamos!

Não é fácil fazer tudo isto possível, mas não é difícil quando se tem Amor e quando principalmente, se recebe este Amor como combustível essencial. Acho que minha rouquidão foi uma somatização para que realmente pudéssemos focar no silêncio do que a nossa alma viu, entendeu, sentiu, e agora, em tudo que podemos fazer, neste rio que estamos, sabemos que lá na frente, um oceano nos espera.

Amo todos vocês, Turma TTS.

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Nasce a Farmácia da Alma


Mais um sonho concretizado. Mais um projeto que surgiu na minha mente esfomeada de amor e de fazer, nasceu da forma prática que deve ser. Lembro-me quando li que não se reconhece o “verdadeiro valor” pelo verbo solitário e por “achismos" egoístas e isolados – o verdadeiro valor está nas OBRAS.
 Acredito ser este um passo imenso para a maior missão que temos aqui neste planeta de vida tão frágil e passageira: dar a contrapartida aos talentos e deixar a nossa contribuição para a evolução maior, principalmente dos menos favorecidos e sem acesso às ferramentas de ponta na psicologia, filosofia, ciência e espiritualidade.

Não foi fácil chegar aqui e saber que hoje, dia 25/11/2011 a Farmácia da Alma nasceu legalmente e é agora uma união de talentos e mentes que querem mudar seus mundos e nosso mundo. Definimos a logística, os princípios, a equipe dirigente nacional e agora o horizonte da tarefa da caridade maior, da expressão máxima da compaixão viva. E ainda neste ano começamos as atividades com força total.

Estou orgulhoso e agradeço a Deus, por permitir que este filho aqui, fiel ao Amor maior possa ter a permissão de ousar tanto. Conseguimos!!! E pensei que nesta “semana estranha” nada iria acontecer. Aos que enveredam pela verdade, e que lutam em, a cada dia poder ser melhor por grandes causas, Deus dá um riso de canto de boca e diz: vai!!! Não tenho tudo que amo, mas amo absolutamente tudo que tenho. Desabafo...
 A equipe dirigente ficou composta por nomes daqueles que não desistem nunca, quando a causa é o Amor, A Verdade e a União. São eles:
Jordan Campos – Presidente
Claudia Scander, Darlene Abreu e Eduardo Sá – Vice-Presidentes
Gabriela Mangabeira: Secretária Geral
Lílian Moreira – 2ª. Secretária
Ana Carla Sampaio – Tesoureira
Carlos Burgos – 2º. Tesoureiro


A MISSÃO:
Atuar ativamente a favor da integridade humana e ao direito à vida e a saúde física, mental e espiritual dos menos favorecidos, seja devido ao status social, seja pela fragilidade imposta por qualquer natureza, através de uma equipe multifuncional, fazendo da Farmácia da Alma um selo de referência e competência no campo social de defesa da causa humana.

O OBJETIVO:
A Farmácia da Alma é uma entidade jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, que tem por objetivo a defesa da causa humana de forma ampla e difusa, visando utilizar recursos humanos, tecnológicos, filosóficos, transpessoais, energéticos e quais mais possam existir em conformidade com suas normas internas; unir todos os talentos das profissões e funções existentes e que possam vir a surgir; captar força viva, financeira, intelectual e dirigente para qualificar, alinhar e proceder no auxílio da causa humana em toda e qualquer circunstância, de uma forma padrão filosófica, reacionária e processual em prol da vida presente e da manutenção do planeta Terra para as futuras gerações.
Facilitar a ação humana de seus membros por meio de treinamentos conjuntos e com os mesmos princípios de ação, que possam assim ser reproduzidos em qualquer lugar do globo terrestre, ampliando o direito à vida, à saúde, à cultura, à informação, ao socorro e, sobretudo à felicidade.

O PROJETO:
De posse da abrangente missão e objetivo, a Farmácia da Alma tem projetos em vários setores sociais. Entre eles destacam-se: auxílio terapêutico gratuito à população de baixa renda que não tenha condição de arcar com os custos de um processo terapêutico privado e dirigido; assim também reunindo médicos, nutricionistas, assistentes sociais, enfermeiros, psicólogos, bem como todos os profissionais de saúde, da área humana e tecnológica que possam tratar, ensinar ou fornecer sua capacidade de forma gratuita à população.

...

Axé, Amém!!!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

CLIPE: Melhores Momentos da palestra Não Discuta a Relação (e seja feliz)

A "palestra" mais comentada do ano em flashes de momentos inusitados. O terapeuta Jordan Campos levou riso e reflexão a mais 500 pessoas em 3 horas de palestra e arrecadou mais de 1 tonelada de alimento. Fiquemos com a saudade e o riso dos melhores momentos. 
 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

SALMO XXIII (adaptado)

Adaptado por mim.

Deus é o meu guia, meu pastor, minha lanterna e nada me faltará.
Peço que deite meu corpo cansado em um campo verde,
E assim me leve mansamente ao encontro de águas tranqüilas e regeneradoras.
Refrigera minha alma, Pai! Aquece meu corpo. Amorna a inquietude viva em mim.
Guia-me pelos caminhos da justiça por amor à sua Lei Maior.
E eu sei que nos momentos mais sombrios e tristes, quando a solidão me assaltar
Ainda que eu ache estar a andar pelo vale da sombra e da morte...
Eu não temerei mal algum, porque você está comigo, Deus.
A sua presença eterna, o Amor que sinto e a lógica que não ainda não entendo, me consolam. Com tua vara e cajado em mãos me protejo!

Prepara uma mesa farta e convida para que nela sentem todos os meus "inimigos".
Abençoa-me com o óleo do perdão com mãos divinas sobre minha cabeça.
E o cálice de prazer e compaixão transborda, e acalma a todos ali presentes.
Esta é minha alma: limpa, pura e subindo.

Certamente então que a bondade e a misericórdia Maior me seguirão
Em todos os dias de minha vida, como um norte, uma estrela...
E habitarei na casa de Deus por longos e infinitos dias.

...

sábado, 19 de novembro de 2011

Valentine e o Domingo Estranho


Por Jordan Campos


Valentine seguia no insano caminho das personalidades inconformadas.
Seguindo a ridícula moral de tapar sol com peneira e admitir e deixar-se subtrair.
Alentando o Caos particular... Mas ele ia além. Ia?
Num compasso confuso, mas leal. Fiel?
Só esperava um simples retorno: “alô – tem alguém aí?”
De quem é a culpa, Valentine? (suspiro)
A pergunta já ressoava tal qual oração. (Padre nostro...)
No chão estendido, com seu casaco baleado à queima roupa
Haviam duas, duas passagens – ida e volta.
Mas não viram isso, não viram a essência, o apelo... Todo o drama do pobre Valentine.
E mataram o Valentine.
Chora, chora... Chorem.

Patético dilema dos conformados e suas febres de realidade hipócrita e corrompida.
Se não se escondeu foi para pedir, foi para mostrar quem realmente estava ali.
E tudo que ele podia fazer... Ou podia... Foi GRITAR !!!!
Alguém deu uma carta de alforria, mas ele insistia no pelourinho.
 Até que um dia ele acordou e viu que era um lenhador de bonsais.
Rompe tudo? Rasga a foto? Dedo no rosto... Do espelho.

“Sujo” e “Mal Lavado” - dupla brega sertaneja.
Do vestido de seda, encrespado ficou...
Da semente de feijão, o algodão secou...
Antes só do que mal acompanhado.
Nem sempre fazendo o melhor, mas nunca fazendo o que não estava a fim de fazer.
Entendeu que era menor do que achava.
Mas, maior do que achavam.
Entendeu, a dor era maior do que supunha.
Concluiu, o choro afoga sim.
Assustou, se soubesse ler pensamentos não sairia do banheiro.
Projetou, “me resta ainda a sorte do horóscopo do jornal de ontem”.

...

Iguais?



As mulheres e homens que insistem em dizer que eles ou elas são todas iguais é por que nunca conseguiram realmente fazer a diferença na vida de ninguém. 
A diferença é que nos move. 
Por vezes atraímos os mesmos tipos pois continuamos os mesmos tipos
 (Jordan Campos)
Muitas pessoas questionam Deus e a continuidade da vida após a morte. É um conflito básico de religação, e realmente algo não simples de dialogar com “provas concretas”, pois temos que ter a capacidade de subjetivar para entender isso tudo. Recebi um email de minha querida tia Ivana Campos, o qual adaptei didaticamente e sutilmente abaixo. Sinta o diálogo e reflita:

No ventre de uma mulher grávida, dentro da placenta, em um mundo “estranho”, limitado, úmido e escuro, estavam dois bebês à nascer. Embora gêmeos e irmãos de mesmo momento fértil, um era extremamente cético e outro tocado de uma “estranha fé”.

O Cético então, pergunta ao outro:
- Vem cá: você acredita mesmo “vida após o nascimento”?
- Sim ,claro. Tem de haver algo após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde. Eu sinto isso.
- Bobagem rapaz: não há vida após o nascimento, isso é credo de tolos. Se apegar a que não vê. Como seria então esta vida?
- Eu não sei exatamente, mas certamente haveria muita mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés ao invés de flutuar na água e comeremos com a nossa boca.
- Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Eu te digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída. Pare com isso – se apegue ao que vê , rapaz! O cordão umbilical, por exemplo, é muito curto, o que torna essas possibilidades totalmente impossíveis. Andar com isso grudado?
- Calma, calma... Na verdade, certamente há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui. Talvez não precisemos mais estar tão ligados a este cordão umbilical.
- Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento pra nos contar. Você conhece alguém que voltou? O parto apenas encerra a vida e ponto final. É a lei: nascer e morrer no nascimento. E só.
- Bem, eu não sei exatamente como será se existir a “vida depois do nascimento”, mas com certeza veremos a mamãe e ela cuidará de nós.
- Mamãe? Você ainda acredita em mamãe???? E onde ela supostamente está?
- Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria. Acredito ser complexo com as informações que tenho aqui e com nossa limitação entender o que seria a “Mamãe” e toda a extensão de amor deste Ser.
- Que balela! Eu nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que não existe nenhuma. Somos fruto de um acaso... Uma evolução de explosão qualquer. Ponto!
- Bem, mas às vezes quando estou em silêncio, eu juro que posso senti-la, esta energia que nos envolve... Como se ela afaga-se e envolvesse nosso mundo. Eu penso que só então, a vida real nos espera após o nosso nascimento - e agora apenas estamos nos preparando, evoluindo e amadurecendo para ela. Para a vida real fora desta limitação. Eu acredito na existência da “mamãe” e na “vida após o nascimento”. Eu sinto isso, mas não sei traduzir.
- Aguardemos, então.
( ... )

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Reverência ao Destino

Por Drummond

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião. Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.
Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.
Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.
Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.
Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta.
Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro. Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Aconteceu a última edição do ano da NÃO DISCUTA A RELAÇÃO E SEJA FELIZ!

Por Jordan Campos

Veja todas as fotos da palestra, making off e ensaios no link:
Lembro-me ainda, quando fui assistir a uma peça da Cia Baiana de Patifaria no teatro do ISBA, ano passado, e fiquei encantado com o lugar. Falei: “Quero trazer a Não Discuta a Relação para Aqui.” Segue abaixo, então, o destino marcado e certo: Foram três horas de apresentação (não vi a hora passar), foi a maior NDR que já fizemos.A última de 2011. A campanha era a “1 Tonelada de Amor” – A missão, arrecadar este peso em alimentos e, através do projeto Farmácia da Alma, ajudar a população carente de Salvador. A outra missão foi realmente levar a todos ali presentes uma abordagem sistematizada e leve no trato dos relacionamentos, não só para rir, mas para refletir profundamente. E assim foi! Entre risos, surpresas e competência da equipe Intercessio, lá estava eu para mais uma edição que nunca é igual, da palestra que virou “peça de teatro e stand up comedy”??? Pois é... As mais de 500 pessoas ali presentes enviaram a vibração necessária e “eureka” – todos nós fizemos a diferença.

Falamos da necessidade da auto-relação em primeiro plano. Depois fomos vasculhar os fios soltos que nos prendem ao passado com relacionamentos em reticências e chamamos a atenção para este risco. Aprofundamos o tema solidão e convidamos a nos resgatar para poder compartilhar nosso melhor com o próximo. Passeamos pelas “leis da relação”, pelas zonas de impacto da sexualidade reprimida, e conhecemos os genitais e os sexuais; ampliamos o diálogo para a linguagem corporal e foi bem divertido mostrar na prática como esta congruência ocorre. Ensinamos até para as mulheres como adestrar seus homens!!! (risos) ... E como se não bastasse ainda, de repente, surge em cena um Esquete com a presença da atriz Vanessa Cardoso, que junto comigo (olha a ousadia), encenou uma divertida DR dos tempos modernos. Ela vibrou a peça inteira ali do meu lado e quase mata uma pessoa da platéia de susto (ops...).  A Vanessa retorna em 2012!!!

No final todos fizeram bilhetinhos para seus parceiros com solicitações urgentes e para a surpresa trocamos homens com mulheres e eles mesmos sentiram na pele e responderam, aconselharam e se divertiram no palco, no papel de “Terapeutas”. Em breve divulgaremos a agenda 2012 e a temporada vai ganhar mais e mais surpresas! Junto conosco nesta empreitada estavam a Riscos & Mossas, a Flora e a MGR Locações. Três empresas amigas, que apostam no social, na cultura e na informação como veículo de crescimento. Estou honrado.

Nos bastidores de tudo isto pessoas especiais: a minha assessora (e falo com posse mesmo, rsrsr) Gabriela Mangabeira, que tem sempre a fidelidade de ter a dor de cabeça por mim (já enviei cartelas de dorflex hoje pela manhã) comandando tudo e saiu perfeito – você me orgulha; Darlene Oliveira que ampliou efetivamente sua admiração pelo nosso trabalho, por uma missão de vida - e com seu charme e doçura se faz essencial eternamente;  Camila Lunelli sempre presente no apoio incondicional; Maria Francinete(a irmã mais velha da Gabi, hehehe) que arrasou ontem no figurino e no seu silêncio tem tudo listado na mente; Alyne Souza, assessora de imprensa competente e inteligente pelo riso seguro e presença marcante (vou pagar o sorvete e as barras de chocolate, ok?) ... e a toda a equipe do ISBA.

Uma menção honrosa aqui ao pessoal do facebook. Realmente esta é uma ferramenta que, se bem usada... 20% do público fechou participação pelo facebook. Uau!!! Foi muito bom conhecer ao vivo quem fica na telinha durante a semana. Ah... reencontrei o André Ramos que não via a mais de 20 anos e junto com o Yure Machado esticamos para conversar- atualizar de desde a quarta série do primário do antigo Teresa de Lisieux, até agora!!!

Obrigado, obrigado e obrigado!!!
Vejam as fotos!



sexta-feira, 11 de novembro de 2011

A Língua

Minha língua formiga muda, de afiada retraiu-se; 
Ou para ejetar o beijo fatal ou para assumir que não pode ser o tal. 
Devia sentir pena? 
Não, a pena era pesada de mais para a pureza do que oferecia.
Suspiro ... 

(Jordan Campos)