quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Hoje a Amanhã

Estava aqui filosofando como de costume sobre a nossa displicência com a vida, a nossa oportunidade de estar aqui - e como somos ingratos e muitas vezes suicidas inconscientes.
Vivemos correndo. Acorda. Pega o ônibus ou carro. Transito. Trabalho ou escola. Almoço às pressas. Transito. Fila. Cansaço. Salário. Comissão. Mesada. Dorme. Acorda. Rotina. – fazemos a poupança, sonhamos com a casa própria, com o carro, com um dia fazer uma coisa legal quando puder.
Mas... E se ao acabar de ler esta mensagem a arteriazinha do seu coração estourar e vc cair sobre este teclado a sua frente? O que ficou? O que vc fez? Vc vai poder sacar a poupança que guardou este tempo? Dirigir o carro? Mostrar a casa aos amigos? O que vc vai levar? ... Daqui: NADA!!!
E por que então passamos a vida coletando o que não nos servirá de nada e aquilo que é de Moral e de Espírito ficamos sempre esperando uma data para acontecer, um dia para realizar... Uma loteria para ganhar.
Tudo é “um dia farei”, “quando eu tiver dinheiro vou...”. PARE! PARE!
Não dá para ver que isso é loucura?

Costumo dizer que existem dois dias onde nada pode ser feito... Ontem e amanhã.
São eles. Estáticos. Imóveis. Só hj vc pode perdoar, praticar a caridade real (que é compartilhar o que vc tem de melhor e não o troco do bolso amarrotado).
Então... Perdoemos agora, falemos Eu Te Amo agora. Pegue caneta e papel e faça a lista de compras de teu sonho para hoje
O que você vai fazer hoje se ficar sempre esperando amanhã, e o amanhã vai ser de novo hoje e você sempre estará esperando mais um amanhã...
Amanhã? Ok, tomara que ele exista.
Muitas vezes só acordamos pela dor, e muitas vezes (quase sempre) é tarde de mais. Hoje é a hora. O nosso cedo. Que virará abóbora à meia noite.

2 comentários:

  1. Será que um dia eu consigo pensar dessa forma,de que o que me interessa é o hoje?

    ResponderExcluir